segunda-feira, 5 de novembro de 2012

A importância social do celular

(Crédito foto: Internet)


Há quem diga que o odeia. Há quem diga que o ama. A verdade é que, hoje em dia, não há quem não precise dele. Salvo por Vanessa Barbara e seu movimento. Estou falando do celular. Esse aparelho que serve para diversas funções dentro de nossa sociedade, até fazer ligações.

Quem nunca – geralmente para evitar o constrangimento enquanto estava sozinho em uma mesa de bar - fuçou as teclas de um telefone móvel e fingiu que estava mandando mensagem para um amigo ou um amor que atire a primeira bateria.

Além de útil para enganar o tempo e as pessoas ao seu redor, o celular também serve para matar o tempo. E matar pessoas também (mas não é bom dar esse tipo de ideias para leitores de um blog tão mortífero). Para iludir o tempo, esse implacável, o aparelhinho é capaz de te dar uma gama infinita de jogos, conteúdos e aplicativos (o meu tem um que mata mosquitos). É claro, sem contar com o acesso à internet. Celular sem isso é tipo: amor sem beijinho.

Ah, falando em amor, esse troço sublime e devastador, lembro que os telefones são capazes de fazer os corações vibrarem forte. Recorda quando você recebeu uma ligação em uma tarde vazia e lhe valeu o dia? E a SMS - dessa vez enviada de verdade – de uma amada (o) que preenche por completo seu peito e sua caixa de mensagem? Amar é colocar crédito na vida.

Para registrar momentos bonitos e desagradáveis (como bebedeiras) nada melhor que uma câmera embutida. Vídeos e imagens registradas ficarão guardados para sempre nas memórias dos cartões e das pessoas. Até porque, esses registros (geralmente os constrangedores) são enviados para muitos outros cartões e pessoas.

Para não falarem que não falei dos espinhos, tem a questão que envolve o dinheiro. Existem pessoas que gastam muita (leia desnecessária) grana com telemóveis – por status ou futilidade: “eu tenho um melhor que o seu”. No outro lado dessa linha cruzada há muita gente enriquece com/através desses aparelhos.

Gostando ou não do texto e do celular, você tem que se ligar e aceitar que o telefone móvel já é algo indispensável em nossa sociedade. Ele é a revolução industrial do século XXI - embora tenha sido inventado no século XX, em 1947. E isso não é rote. Eu estou falando sério.

2 comentários:

5n3v35 disse...

Realmente esse aparelhinho que hoje é um computador de bolso (smarthphone)se torna a cada atualização um instrumento essencial para nossa existencia.

pedro evangelista disse...

Acredito que a mídia televisiva como os comerciais acrescentam muito para isso, existem comerciais horríveis, mas também há comerciais emocionantes sobre o uso celular no que diz a distância entre pessoas, eu posso falar com propriedade do fato por que agora sou uma vítima/consumidor de tal serviço chamado "roaming" que permite que eu encurte a distância física e sentimental, afinal de contas, como você disse, "amar é colocar crédito na vida". ainda mais agora que saí do pós pago e fui para o pré pago!