domingo, 18 de abril de 2010

Eu sou

Eu sou a troca de olhares. A primeira vista. A noite sem fim e o para sempre;
Eu sou o encostar dos lábios. As mãos lado a lado. O toque que excita;
Eu sou o suspiro da moça. O inflar de tórax dos moços. A falta de ar;
Eu sou o puxão de cabelo. O cafuné. A dor de cabeça;
Eu sou o cinema. O poema. O dilema.
Eu sou o canto escuro. As costas no muro. Algo impuro.
Eu sou o tapa na cara. O rabo ou qualquer outra coisa entre as pernas. O cérebro no ar;
Eu sou o moço sem jeito. A moça ajeitada. O que não tem solução;
Eu sou a noite em claro. O sonho bonito. Os olhos fechados;
Eu sou o peito que bate forte. Apanha. Que não cansa da luta;
Eu sou a transa casual. O encontro esperado. Os acasos;
Eu sou a esperança. O desespero. O relógio parado;
Eu sou a ausência de pudor. As quatro paredes. O mundo inteiro na frente da janela;
Eu sou o que foge a dicionários. O que não mata ninguém. O que faz o peito e as palavras pararem;
Eu sou o alívio. A dor. O próprio: veneno e cura.

Eu sou o amor. Nu ou usando as vestimentas e anéis sociais. Eu sou o... prazer. Eu sou o amor.

(Ao som de: Odair José - 1981)

6 comentários:

W disse...

"Eu sou a esperança. O desespero. O relógio parado;" gostei especialmente desse trecho, mas o texto está à altura do blog!
abraços

Jéssyca 19/04 data mais linda:D disse...

Eu sou a fã desse poeminha *-*

Paula S disse...

Caralho. Gozei. Vc é foda! Entendeu? Em todos os sentidos, literal e não, rsrs.

alberto disse...

Realmente fogem ao dicionário as palavras pra descrever a beleza e leveza incompriendidas do amor, incompriendidas até pelo próprio amor... Parabéns, suas palavras chegaram perto de uma descrição sensata...

-F disse...

A-D-O-R-E-I! E adorei seu blog por inteiro, parabéns!

-F disse...
Este comentário foi removido pelo autor.