terça-feira, 7 de abril de 2009

Defeitos

Admito, admiro, não minto e miro alguns dos meus muitos
Até disfarço, mas não desfaço, nem descanso, nem cansaço por minutos
Consigo comigo, morto vivo, vivo errando
Melhores caminhos, sem panos, sem planos

Aplaudir de pé é o que resta, no fim da festa
Nem uma plástica transforma por completo, testa?
Mudança? Do interior pra capital
Deve vir de dentro, antes do Carnaval

Odeio exageros, perfeição demais é tão distante que cansa
Imperfeição: combustível mais leve, nem pesa, balança
Jantar, juntar, seguir. Igualar é sorrir
Alinhar, fechar, beijar, fugir

(Ao som de: Sérgio Sampaio - Cruel)

3 comentários:

Paula S disse...

Ele se ama, gente.

É isso ae, o mundo diz que os defeitos são coisas do 'capiroto',do mal e eticetera rsrs, mas não é bem por aí.

Muitas vezes eles te levam a caminhos que as virtudes por algum motivo não levariam.

Os "melhores caminhos, sem panos e sem planos", essa parte resume oque eu disse ou eu disse com muitas palavras esse resumo, sei la´rsrs.

Parabéns pelo PRIMO DISTÂNTE DE POEMA, como vc mesmo diz com humildade (olha uma qualidade, nesse menino que se julga cheio de defeitos rsrs, mas a sua é uma humildade boa, não aquela dos 'pobre coitados'
Vc tem qualidades feias, e belos defeitos. É isso mesmo, mas tudo ao contrário hahaha.

E Sérgio Sampaio é o rei. rs
(meus comentários estão grandes, né? rs)

Jéssyca disse...

- "nossa, como ele escreve bem!!"

li pra minha mae xDD
hueaheuhe
;*

Felipe Freitas disse...

Ela não te colocou de castigo por isso? Rs.