domingo, 11 de abril de 2010

Sempre vem

As chuvas que pararam o Rio de Janeiro nos últimos dias deram uma cessada. Porém, o céu continua vestindo um azul escuro, forte, daquele tipo que intimida e faz qualquer homem vestir o casaco do medo e carregar o guarda chuva preocupação. O mar reflete toda a tensão. As estrelas tímidas não vêm piscar para as moças que brilham naturalmente. A Lua embrulhada por nuvens não ajudou a desenrolar os amores. Não fez suspirar as moças. Não trouxe a inquetação aos moços. No entano, o Sol insite em sorrir, ainda que disccreto, como se fosse alguém que precisa se manter presente, mas que não quer extrapolar. É, o Sol sempre vem.

(Ao som de: Tim Maia)

3 comentários:

Paula S disse...

Jornalismo poetico, rs.

Rainha Branca | Loli disse...

Cara, eu amo um templo nublado, com mta nuvem, parecendo que o céu vai desmanchar em um derramamento de chuva pra limpar a toda a impureza do ar... E ah, como o céu esteve lindo esses dias!!! ^^

jessyca disse...

credo, essa meninina adorou os disastres ;x